Boletim escolar 2
Logo CM Loures hpimx_logo
As Bases

Como anotar e ler lances de xadrez
O sistema algébrico é um sistema de anotação de lances de xadrez muito prático e fácil de aprender, sendo utilizado em todo o mundo do mesmo modo, especialmente quando se usam figurinhas para indicar que peça se moveu fig1, sendo também usado nos computadores.
O sistema algébrico funciona como o jogo da batalha naval e utiliza 8 colunas (abcdefgh) e 8 linhas (12345678). Assim, podemos identificar todos os quadrados (casas) do tabuleiro por um par constituído por uma letra e um número. Por exemplo, no diagrama; e4 é a casa onde está o peão fig0.

 e4

Exemplos de anotação
Com figurinhas

fig2
Ou com as peças escritas com as maiúsculas iniciais das peças
Ou 1.e4 e5 2.d4 exd4 3.Cf3 Cc6 4.Bc4 Cf6 5.0-0 Be7 6.Cxd4 Cxd4 7.Dxd4 d6 8.f4 b6
9.e5 d5 10.Bb5+ Bd7 11.exf6 Bc5 12.Te1+ Rf8 13.fxg7+ Rg8 14.gxh8=D++. 1-0
Ou ainda com os tabuleiros dinâmicos (clique nas setas ou em cima na própria notação)

Ao anotar o lance (obrigatório em partidas de competição federadas), primeiro escrevemos qual a peça que jogámos [cada peça também pode ser representada pela sua primeira letra em maiúscula (Rei=R, Dama=D, Torre=T, Bispo=B e Cavalo=C)] e depois a casa de chegada da peça. Para os movimentos de peão, basta escrever a casa de chegada (não é necessário escrever a letra P de peão). Num sistema completo (raramente usado) também se pode escrever a casa de partida (necessário apenas quando há duas peças iguais que podem ir para a casa de chegada, a partir de casas de partida diferentes).
Vejamos uma jogada completa (com os lances das Brancas e das Pretas) da anotação da partida de cima (debaixo do diagrama do peão). 6. Cxd4 Cxd4 (ou 6. Cf3xd4 Cc6xd4 ou fig3a). Isto quer dizer que na sexta jogada, as brancas jogaram o seu Cavalo da casa f3 para a casa d4 comendo (o x significa uma captura) o que lá estava (um peão), e as pretas responderam, capturando com o seu Cavalo de c6 o cavalo branco que ficara em d4. Se acontecer um xeque, como na jogada 10. Bb5+, a seguir à casa de chegada acrescentamos o sinal +.
Há lances que têm uma anotação especial, como o roque. Por exemplo em 5. 0-0, as brancas rocaram curto na sua jogada cinco (roque grande seria 0-0-0). Em 14. gxh8=D++, na jogada 14, o peão de g7 capturou o que estava em h8 (uma torre) e promoveu-se a dama, dando simultaneamente xeque-mate (++ ou #).

Símbolos

A origem do xadrez
Egipto antigo  Índia antiga  antiga Grécia

Ninguém sabe ao certo quem inventou o xadrez, e existem muitas teorias sobre qual a sua origem. Alguns historiadores acreditam que foi Palamedes, chefe do exército grego, que para entreter os seus soldados criou a Petteia, jogo muito popular e parecido com o xadrez. Outros pensam que o xadrez foi inventado na Índia por Sissa, ministro de um rei que tratava muito mal o seu povo. Sissa, para dar uma lição ao seu rei, inventou um jogo chamado Chaturanga, onde o rei, apesar de ser a peça mais importante, dependia sempre da ajuda de todas as outras, até das mais fracas. O rei ficou encantado com o jogo e decidiu recompensar Sissa com um desejo. Este pediu um grão de trigo para a primeira casa, dois para a segunda, quatro para a terceira, dobrando sempre o número até à casa final 64 do tabuleiro. O rei, habituado a fazer tudo o que queria, sem pensar, disse logo que sim! Porém, assim que deu a ordem para satisfazer o pedido de Sissa, logo percebeu que seria impossível juntar tanto grão de trigo [exatamente a soma de 1+2+4+8+16+32+64+128+256+512+1014+2048+4096+ ..... + 9.223.372.036.854.775.808 na casa 64, dando a extraordinária soma de 18.446.744.073.709.551.615 grãos (aproximadamente 1019), ou seja 18 triliões, 446744 biliões 73709 milhões, 551615 – cuidado que no Brasil ou nos Estados Unidos mil milhões é logo um bilião (ou bilhão). Em português europeu são necessários um milhão de milhões para se chegar ao bilião] Mesmo toda a produção de trigo da Terra nos últimos dois séculos - que foram bem mais produtivos que os da época... - seria insuficiente!
Idade Média Arabe Sissa                   exponencial
O ministro explicou então que renunciava ao desejo que sabia ser impossível de realizar e que o prazer de inventar tão interessante jogo lhe bastava, mas aconselhou o rei a pensar bem antes de tomar decisões, algo que qualquer jogador valoriza, cada vez mais, à medida que vai descobrindo os segredos do xadrez. O rei, agradecido, promoveu Sissa a primeiro-ministro e seu conselheiro.
Segundo a teoria do «Big Bang», estima-se que, no Universo observável até 46 mil milhões de anos luz, existam, segundo cálculos de físicos especializados, 1080 átomos (número que nem nos atrevemos a escrever por extenso...). Mas este número astronómico é muitíssimo menor do que o número de jogos diferentes, possíveis, de xadrez em apenas 40 jogadas (ou 80 lances): 10120, de acordo com cálculos feitos por matemáticos afamados [note-se a diferença entre ambos os números (101201080) não é 1040, mas sim um número com 40 algarismos '9' multiplicado por 1080]. 

Mate com a dama

 

dama1dama1 2dama 2

fig3

3dama 34Diagrama4 - damadama
Mate com duas torres

torre  Diagrama 1 - Mate duas torres  torre

 fig5

2Diagrama2 - Mate duas torres   torre3Diagrama3 - Mate duas torres
 
Mate com uma torre 

1Diagrama1 - Mate uma torre  torre2Diagrama2 - Mate uma torre

fig6

3Diagrama3 - Mate uma torre   torre
Mate com dois bispos 

bispo1Diagrama1 - Dois bispos  bispo

fig7 

2Diagrama2 - Dois bispos  3Diagrama3 - Dois bispos   bispo

fig8 
Termos técnicos
Qualidade - Ganha-se uma «qualidade» quando se captura uma torre em troca de uma peça menor (cavalo ou bispo).
Gambito - Sacrifício de um peão ou uma peça para obter ataque, iniciativa, vantagem de desenvolvimento ou posicional.
peão
Peões dobrados - Peões da mesma cor, na mesma coluna.
Peões dobrados e parados
Peão passado - Peão que já não pode ser detido ou capturado por nenhum peão adversário.
Peão a caminho da promoção
Peça pregada - Uma peça que não pode (ou não deve) ser movimentada porque deixaria o seu rei (ou outra peça de valor superior como a dama) em xeque (ou ameaçada). Como é o caso do Cc6 pregado pelo Bb5 no seguinte diagrama.
Cavalo está pregado pelo bispo
Forquilha - Ataque simultâneo de um peão a duas peças
Forquilha
Xeque a descoberto - Xeque ao rei que só é possível quando movemos uma peça, cujo movimento vai permitir (descobrir) que outra das nossas peças passe a atacar (dar xeque ao rei adversário). Este xeque a descoberto pode ser xeque a descoberto duplo se a peça que se movimenta também ela der xeque além de descobrir a ação da outra.
Xeque mate a descoberto (Ra6++)
Há xeque a descoberto simples (da Torre em b5) com xeque mate Ra6++.
Note-se que depois de Ra6++, o rei negro não tem as eventuais fugas c7 (por causa do Ba5), nem c8 (por causa do Ca7), nem sequer a8 (por causa do Bc6). O rei branco defende o Ca7 e a casa b7 está controlada por rei, bispo e torre. O rei negro em b8 é ameaçado pela torre.


Xeque a descoberto duplo e mate
As pretas ganham com xeque a descoberto duplo e mate (pela Torre em a7 e pelo Bispo em c3) com Bc3++.
Note-se que, depois de Bc3++, não é permitido capturar (com o Bd4) nem a torre nem o bispo negros porque o rei continuaria em xeque.

«Componho» - (ou «j'adoube», ou «ajeito») Expressão utilizada (em voz alta) antes de ajustar uma peça na sua própria casa. Assim, a peça é tocada mas não será obrigatoriamente jogada (como é obrigatório nas competições oficiais federadas). Nas competições de xadrez escolar, geralmente usa-se apenas a regra «peça largada é peça jogada» em vez de «peça tocada é peça jogada».
«Zugswang» - Termo alemão universalmente aceite para as raras situações onde ter a vez de jogar é prejudicial. Um jogador em «zugswang» preferiria «passar», deixando de jogar, se pudesse.
Duplo_zugswang_total
   Segue-se Cd6++ (com brancas ou pretas)
Quem joga vai obrigatoriamente permitir xeque-mate ao adversário com Cd6++.
Um caso raríssimo de zugswang duplo!

Conselhos na abertura
Ao contrário do que se possa imaginar, a fase de abertura é menos complexa do que as fases seguintes: o meio-jogo (mais criativo) e o final (mais analítico e preciso).
De um modo geral, as aberturas guiam-se por princípios simples. Na abertura ou fase inicial da partida, o desenvolvimento de todas as peças é o mais importante, e deves fazê-lo o mais depressa possível.
O que distingue as aberturas, umas das outras, é a estrutura de peões, ou seja, a maneira como os peões estão colocados (especialmente perto do centro do tabuleiro). Eis os principais conselhos práticos na abertura:
1. Jogar primeiro o peão de rei (e2-e4) ou o peão de dama (d2-d4), se possível os dois para facilitar a saída dos bispos.
2. Desenvolver os cavalos antes dos bispos.
3. Rocar o mais depressa possível, para afastar o rei dos primeiros combates que poderão acontecer na zona central.
4. Não jogar muitos lances de peão na abertura.
5. Não sair com a dama muito cedo, pois poderá ser atacada facilmente por peças de menor valor. Depois de algumas trocas sim, devem-se escolher as melhores posições para dama e torres (estas últimas em colunas abertas, se possível).
6. Jogar para o controlo do centro.
7. Esforçar-se por conservar, pelo menos, um peão no centro (d4, e4, d5, e5), e conservar essa zona bem dominada (mesmo que desocupada).
8. Não mover muitas vezes a mesma peça.
9. Sempre que possível, proceder de modo a que um bom lance de desenvolvimento faça ao mesmo tempo uma ameaça.
10. Não fazer gambitos nem sacrifícios sem um bom motivo, como ganhar espaço, permitir maior desenvolvimento, iniciar ataque ou impedir o adversário de rocar enfraquecendo defesas do rei adversário.
11. Isto é tudo muito bonito, mas...não convém perdoar quando o adversário se descuida e oferece uma peça ou um peão. No entanto, às vezes mais vale um bom lance de desenvolvimento do que a captura de um mero peão. Bom mesmo, é quando essa captura aumenta o nosso poderio de ataque.

Mates rápidos
Mate do louco
Louco
Há um mate semelhante ainda mais rápido (2 lances) com negras_
1.f3? e6 2.g4?? Dh4++


pastor
pastor

Mate légal
legal
Dado que a saída prematura da dama é geralmente errada,
quais são os movimentos ideais na fase de abertura?
ideal1

 Desenvolvimento ideal
             Desenvolvimento ideal

ideal2

Alguns factos sobre o xadrez em Portugal
A entrada do xadrez em Portugal deve-se aos árabes. Desde a reconquista de Odemira, por Dom Afonso Henriques em 1166, o xadrez passou a estar presente como jogo de reis. Mas, cedo, mudámos os nomes de algumas peças árabes (como Vizir ou Alferza) para Rei, Dama e Bispo. Este nome ‘Bispo’ foi introduzido por portugueses e adotado pelos ingleses, séculos mais tarde. A peça ainda conserva, em Espanha e Itália, o nome de ‘Alfil’ e ‘Alfiere’, bem mais próximo das origens da cultura mouras (os franceses chamam-lhe ´Fou´ ou bobo da corte, os alemães ‘Laufer’ ou corredor e os russos conservam as origens indianas e chamam-lhe ‘Slon’ ou elefante). A conversão ao cristianismo não impediu que o xadrez ganhasse adeptos entre a nobreza e clero. Já no século XV, entre alguns judeus que recusaram o cristianismo, conta-se o boticário Damião (ou Damiano como ficou mundialmente conhecido) de Odemira (1480-1544). Ele fugiu para Itália, onde publicou um dos primeiros tratados de xadrez (´Questo libro e da imparare giocare a scachi´, publicado em Roma em 1512). Portugal está assim ligado a um dos primeiros livros de xadrez, alguma vez publicados no mundo! Xadrez que D. João II jogava com mestria, segundo crónicas da época. Aliás, o monarca viajava com um xadrez portátil (sobre tabuleiro pintado numa almofada) que funcionava com alfinetes e até o levou na sua última viagem para o Algarve, onde acabou por morrer.

Capa livro DamianoLivro de DamianoDom João II
Com a chegada do xadrez moderno no século XIX, já com as regras atuais, e a organização primeiros Campeonatos do Mundo, organizou-se o primeiro Campeonato de Portugal, em 1911.
A morte do campeão do mundo, Alexander Alekhine, no Estoril, acontece (1946) depois da segunda guerra mundial quando ele preparava, com amigos portugueses (entre os quais o médico Mário Machado, sem dúvida o melhor jogador português desde Damião e percursor do excelente nível do xadrez por correspondência em Portugal), um «match» contra o russo Mikhail Botvinnik. Consta que Alekhine respeitava muito as ideias teóricas de Mário Machado.
Nos anos seguintes, o domínio do xadrez em Portugal foi personalizado pelo mestre Joaquim Durão e, mais recentemente, pelo grande mestre António Fernandes. Na Olimpíada de Nice 1974, a seleção nacional atinge o 31° lugar entre 73 nações. Pouco depois Portugal conseguia os seus dois primeiros títulos de mestre internacional (Joaquim Durão e Fernando Silva). Mas a melhor prestação nacional de sempre de xadrez clássico acontece no Dubai, em 1986, com um notável 17° lugar de Portugal, entre 108 países.
Desde então Portugal tem mantido um lugar no limiar do primeiro terço dos países membros da federação internacional /FIDE, que tem 181 países filiados (um pouco menos que a FIFA, que ultrapassa as duas centenas de membros), Na última Olimpíada, em Baku 2016, Portugal obteve um bom 41° lugar entre 150 equipas.
Com cerca de 1700 jogadores com «rating» internacional, Portugal está no 61° lugar na média rating (2416 – nível de IM) dos seus 10 melhores mestres, entre 161 países com jogadores cotados. Portugal tem 3 grandes mestres (GM) e 14 mestres internacionais (IM), entre 52 jogadores titulados (Mestres FIDE – FM – e tituladas femininas).
Em xadrez Postal (xadrez por correspondência gerido pela Federação Internacional respetiva - ICCF, inicialmente jogado por correio e depois por email, é hoje jogado na internet em servidor dedicado), Portugal tem a mais alta tradição como o 5° lugar de Álvaro Pereira (GM, ICCF), na 13° Final Mundial, o 8° lugar de Horácio Neto (GM ICCF), na 23° Final Mundial, ou o 4° lugar da seleção nacional (a seis tabuleiros) na 15° Olimpíada, ou ainda o 3° melhor «rating» mundial (2680) atingido por Luís Santos (GM ICCF, além de IM de xadrez clássico), em 1987, que ainda hoje é o 14° melhor rating de sempre do mundo.
 

Xadrez e personalidades da vida política recente nacional
Para além do citado Dom João II, ou outros reis ou chefes militares portugueses, podemos destacar personalidades da vida politica portuguesa pós 25 de Abril, que foram e são bons jogadores de xadrez e que tornaram pública essa sua preferência.
No PCP podemos destacar Álvaro Cunhal que jogou na prisão de Peniche (usando miolo de pão como peças), a par do ex-presidente da Câmara Municipal de Loures Severiano Falcão (foi com ele como presidente que começou o xadrez escolar em Loures). Mas Adão Barata (ex-presidente da CM Loures) ou Rego Mendes (vereador do desporto na CM Lisboa, aquando da presidência do município por Jorge Sampaio) também não esconderam a sua ligação estreita ao xadrez.

  Álvaro Cunhal Severiano Falcão Vasco Graça Moura

No PS, destacam-se os ex-líderes Vítor Constâncio e ex-presidente do Banco de Portugal (além de bom jogador possui uma vasta biblioteca com livros de xadrez) assim como António José Seguro (que até jogou uma partida nas finais interescolares de Odivelas, em 2004). Conhecidas também as fortes opiniões de outros dois bons jogadores de xadrez, na área do PSD: José Pacheco Pereira ou Vasco Graça Moura (este último foi um dos homens mais cultos de sempre em Portugal), ambos defensores de um programa para jovens sobre xadrez na televisão pública.

Logo CM Loures hpimx_logo